Referências | Ananke Supremo

Victor Hugo escreveu como se fosse impossível parar. Podemos dizer que seu processo criativo vertia uma produtividade inverossimil. Entre uma quantidade e variedade surpreendente de escritos também figuram esboços rabiscados, desenhados ou aquarelados com os meios que a aparente tirania de seu vigor pedia (usando de café, vinho e o quê mais no fundo de um copo lhe servisse como tinta). Em nada os excessos, nem suas conhecidas e infindáveis digressões, comprometeram a qualidade de suas obras, sobretudo as três maiores.

Notre-Dame de Paris, Os Miseráveis e Os Trabalhadores do Mar formam juntas uma verdadeira trilogia da “fatalidade humana” – como o próprio autor se expressou na introdução da última. Uma trilogia sobre a luta do homem contra as forças presente nos dogmas, na sociedade e na natureza, respectivamente. O homem lutando para afirmar-se integralmente: afirmar a realidade espiritual, moral, e volitiva individual – aquela que, quando falta o “pão”, faz lutar por ele.

É desse contexto que colhemos a máxima: “O homem vive mais de afirmações do que de pão” – Victor Hugo, Os Miseráveis (na imagem, ilustração de Émile Bayard para a primeira publicação do livro).

Hugo | Tríplice Ananke

Quotes-Os-Miseraveis---01